sábado, 23 de maio de 2015

Nova audiência no TRT tenta pôr fim à greve na Chery em Jacareí, SP

29/04/2015 - G1

Piso de R$ 1.850 sugerido pela Justiça foi aprovado por trabalhadores. 
Greve já dura mais de 20 dias; empresa não se manifesta sobre proposta.

Do G1 Vale do Paraíba e Região

Chery em Jacareí (Foto: Divulgação/Chery)
Chery em Jacareí (Foto: Divulgação/Chery)

Nesta quinta-feira (30), representantes da montadora Chery e do Sindicato dos Metalúrgicos vão se reunir para uma nova audiência no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), em Campinas (SP). O encontro anterior, há uma semana, terminou sem acordo. A greve dos trabalhadores da empresa dura mais de 20 dias.

O sindicato reivindica que a empresa assine uma convenção coletiva, equiparando salários e direitos trabalhistas praticados por outras montadoras do Vale do Paraíba, onde a multinacional chinesa iniciou as operações neste ano. O piso salarial na General Motors, por exemplo, é de R$ 3,5 mil.

Atualmente, a Chery paga o piso de R$ 1.199 aos operários e, antes de ir ao TRT, ofereceu reajuste que elevaria para R$ 1,4 mil os salários, com dissídio em setembro. A tentativa de acordo foi recusada pelo sindicato, que pede que os salários sejam elevados para R$ 2,5 mil.

Na última audiência no TRT, a empresa ofereceu piso para iniciantes de R$ 1.732,55, com reajuste de 5% em setembro. Para os demais cargos de produção, o reajuste seria de 10%, acrescido de 5% no segundo semestre. A montadora quer ainda a compensação dos dias parados.

A nova proposta também foi recusada pelo sindicato, que quer ainda o pagamento integral dos dias parados e estabilidade de 120 dias para os trabalhadores após o retorno às atividades.
Assembleia

Por conta do impasse, o TRT sugeriu então um piso de R$ 1.850, considerado desde o último dia 1º.  Este valor foi aprovado pelos trabalhadores da Chery em uma assembleia, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos.

A assessoria de imprensa da Chery informou que a proposta do TRT foi avaliada pela matriz na montadora, mas só apresentará um novo posicionamento durante a audiência em Campinas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário