sábado, 23 de maio de 2015

Golpe Comunista

2013

AGENTES COMUNISTAS 

O Ministro da Saúde do Governo FHC defendia a contratação de médicos cubanos para atender as regiões com maior falta de profissionais da saúde. Em 1999, pelo menos 4 estados recebem médicos cubanos: Tocantins, Acre, Roraima e Pernambuco. Em 2013, no governo Dilma é iniciado o desembarque da segunda leva de médicos cubanos, totalizando 11.400 agentes  até março de 2014. Em um ano o Regime Cubano recebe do Tesouro Nacional 1,4 bilhão de reais, já descontado o repassado para os médicos no Brasil. Trata-se também de exploração do trabalho escravo, pois o médicos cubanos recebiam apenas 10% do enviado para Cuba. Muitos dos médicos Cubanos são agentes comunistas infiltrados.




















Atestando o abandono proposital de nossas fronteiras, em reportagem no dia 10 de dezembro de 2013, o G1 visitou seis pelotões nas fronteiras da Amazônia, alguns localizados nas tríplices fronteiras, onde os militares vivem em condições piores do que as enfrentadas pelos colegas que vão para a missão de paz no Haiti. Em 2012, em uma série de reportagens sobre a situação de sucateamento do Exército, o G1 mostrou que o país possuía munição para se defender por apenas uma hora de guerra e que a Amazônia era a  preocupação número um dos militares. 

DESTRUIÇÃO DO ESTADO NACIONAL

“Falta de investimento enfraquece as Forças Armadas, dizem comandantes Oficiais reclamam dos contingenciamentos "criminosos" e das dificuldades em levar adiante projetos estratégicos de renovação dos equipamentos” - Carta Capital  12/11/2013

REVOLTA POPULAR

A partir do dia 18 junho, início da Revolta Popular, em todo o país,  contra os Governos, com  manifestações  contra o aumento das tarifas  de transporte coletivo, os gastos da Copa do Mundo, a corrupção, a PEC-37, entre outros temas. 

Em agosto, o Ministro da Defesa Celso Amorim é vaiado na Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende - RJ. As manifestações chegam aos quartéis.

INVASÃO COMUNISTA

No dia 8 de  julho, dois aviões militares C -130, da Força Aérea Venezuelana pousam no aeroporto de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, numa descarada operação de desembarque de supostos agentes/guerrilheiros venezuelanos no país. Uma parte seguiu em avião de carreira para São Paulo, e outra parte para destino desconhecido.  Transcrevendo o ocorrido por um passageiro do aeroporto:

"Ao fazer conexão no aeroporto de Campo Grande por volta das 20 horas , me deparei com esse mostrengo da força aérea Venezuela em pleno aeroporto brasileiro descarregando muita bagagem, até ai tudo bem, entrei no saguão pra pegar o voo pra SP e me deparo com mais de 200 venezuelanos com caras de terrorista acompanhados de uns 6 soldados fardados, não tive como tirar foto deles pois estes estavam espalhados por todos os locais em separado , alguns com camisas vermelhas escrito CUMUNISMO, VIVA CHÊ e outras coisitas más. Muito bem , o que me causou estranheza é que vários entraram no voo pra SP em separado e como que disfarçando que não se conheciam , entretanto os que se encontravam em um canto com caras de chefes lá ficaram, continuo na outra foto.

Pois bem , de repente de minha janela observo estes que aparentavam mais alta patente e maldade saindo por uma porta especial , e se dirigindo pra o seu avião venezuelano , achei muito estranho e uma aeromoça me disse que outros mais haviam partido em outro voo pra local desconhecido . A pergunta que não quer calar é a seguinte: Porque vários venezuelanos a paisana estariam chegando no Brasil em um avião militar e partindo em separado em voos domésticos , o que um avião militar venezuelano estaria fazendo em território nacional na calada da noite e com nitidamente militantes e ou guerrilheiros ? Com todo o respeito , tem xyzwhijp nisso que vi e eu não to brincando nem exagerando , todos eles não abriram a boca no saguão e nem dentro do avião.”

Publicado em forma de post no Facebook

















Desembarque de venezuelanos no  dia 8 de julho de 2013 na Base Aérea de Campo Grande


No dia 3 de setembro, o Congresso Nacional aprova o texto do Protocolo de Montevidéu, sobre o compromisso com a "democracia" no Mercosul, conforme  o Projeto de Decreto Legislativo Nº 1290/2013, lançado pelo Executivo (PT), que previa, entre outras medidas, a permissão da invasão do Brasil por tropas do Mercosul, em caso de "ruptura" democrática. O acordo lembra o "Pacto de Varsóvia", que permitiu a invasão de tropas russas na Hungria (1956), Tchecoslováquia (1968) e Polônia (1981).

INTEGRAÇÃO COMUNISTA

Em novembro, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) concede licença ambiental à Repsol Sinopec Brasil SA, uma das maiores companhias energéticas da América Latina, para explorar o Bloco BM-C-33, na camada pré-sal da Bacia de Campos. A Sinopec, uma estatal chinesa, controla 40% do grupo.

GUERRILHAS COMUNISTAS

No dia 15 de outubro, infiltração de vândalos intitulados "bléc blocs", no protesto de professores no Rio de Janeiro, financiados por partidos de esquerda, contribuindo na geração de conflitos. A confusão termina com 190 pessoas detidas e 64 presas. 

EXÉRCITO COMUNISTA

No dia 24 de setembro, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) apresenta a Proposta de Emenda à Constituição Nº 51 (PEC 51/13), alterando a Constituição Federal para estabelecer, entre outras medidas,  a desmilitarização das policiais militares do Brasil, passando todo o controle para o Governo  Executivo de Brasília. No dia 9 de abril de 2014 a proposta chega na Secretaria Geral da Mesa do Senado.

No dia 24 de setembro, é apresentada ao Senado, a Proposta de Emenda à Constituição Nº 51 (PEC-51) que trata da remodelação completa da estrutura de segurança pública do BrasiL, desmilitarizando as forças das PM´s dos estados, que em vez do Exército, passariam para o controle direto do regime do PT de  Brasília. AS PM´s até então, com cerca de 370 mil homens, era considerada uma reserva do Exército. A emenda, é claro, foi proposta pelo Senador Lindbergh Farias do PT do Rio de Janeiro. Com  a desmilitarização, o MST, só como exemplo,  teria carta aberta para invadir as propriedades particulares, sem a eventual reação do exército para lhes defender. Inclusive imóveis urbanos poderão ser invadidos. Na verdade até o comando geral do exército brasileiro  continua sendo controlado pela Elite Global, visto a anuência dos próprios na invasão do nosso território  pelas FARC e até  mesmo pelo exército Venezuelano. Mesmo que ainda exista uma parte do exército contrária a essa dominação comunista.

FORO DE SÃO PAULO

No dia 28 de novembro, o presidente do Uruguay, José Mujica, declara que as burguesias Paulista, Argentina e Uruguaia impedem a evolução econômica na América do Sul.

Nenhum comentário:

Postar um comentário