sábado, 9 de maio de 2015

Golpe Comunista

2006

Em artigo publicado em 1º de Dezembro de 2006 o The Wall Street Journal mostra como a Smartmatic  venceu a eleição de Hugo Chávez naquele ano. Segundo as autoridades americanas a empresa que é venezuelana mostrou para os correligionários de Chávez uma forma de ficar no poder para sempre, inclusive no seu pós-morte com o crescimento de Nicolás Maduro para a presidência daquele país. A Smartmatic é a mesma  empresa que processa os votos das eleições eletrônicas no Brasil, além de outros países, onde existe a agenda de implantação do comunismo.

Em maio, o presidente da Bolívia, Evo Morales (Erro Morales),anuncia a estatização de todo o setor de hidrocarbonetos boliviano. As refinarias da Petrobrás são expropriadas sem nenhuma coação do Governo Lula. O Brasil também passa a pagar mais caro pelo gás boliviano. Apesar de tudo, no dia primeiro de fevereiro de 2013, é anunciado que a Petrobrás voltava a investir na Bolívia,  sete anos após perder as refinarias. No dia primeiro de fevereiro de 2015, o jornal boliviano “Lá Rázon”, informava qua a Petrobrás estava investindo 1 milhão de dólares em 15 projetos sociais na Bolívia, beneficiando 2.850 famílias. 

No dia 18 de julho, o líder do MST, João Pedro Stedile, a convite do general de Exército José Benedito Barros Moreira, realiza uma palestra na Escola Superior de Guerra (ESG). Durante o encontro, Stedile convida  os professores da ESG a visitarem a Escola Florestan Fernandes, situada em Guararema, no interior de São Paulo. 

No dia 13 de novembro, o presidente Luiz Inácio Lula e o chefe de Estado da Venezuela, Hugo Chávez, inauguram a segunda ponte sobre o rio Orinoco, chamada de "Orinoquia". A obra, considerada uma maravilha da engenharia, foi construída com tecnologia e financiamento  brasileiros. A ponte foi construída pela Construtora Odebrecht, com custo de US$ 1,28 bilhão. 
Lula e Chavez na inauguração da ponte Orinoquia













Lula e Chavez na inauguração da ponte Orinoquia

Nenhum comentário:

Postar um comentário